domingo, 6 de abril de 2014

Estalar dedos pode ser perigoso se virar um hábito



Tlec. Tlec Tlec. Quantas vezes você já escutou esse som hoje? Seja na faculdade, no ônibus, no trabalho ou em casa, esse foi o som após alguém que estava por perto estalar os dedos das mãos. Ou, até mesmo, coluna, pescoço, pulso, dedos dos pés, entre várias outras partes do corpo. Qualquer uma que for, o motivo foi sempre o mesmo: aliviar a tensão e relaxar.

Porém, o hábito de estalar as articulações pode se tornar uma mania - e uma mania difícil de conseguir parar. Em muitos casos, ela começa desde cedo, sob influência dos familiares e amigos. Foi o que aconteceu com a estudante Beatriz Aguiar de Sousa, 13 anos, que passou a estalar os dedos por conta dos primos mais velhos.

Na época, eles a desafiavam a estalar os dedos das mãos. Beatriz não gostava, pois doía. "Mas desafio é desafio, então eu sempre topava". Apesar de começar desde cedo, a estudante conta que estalar as articulações só virou mania, realmente, no ano passado. "Não consigo parar, já faz parte de mim".

Segundo o reumatologista Amarildo B. G. da Silva, estalar as articulações não é perigoso mas, sim, se isso se tornar um hábito muito repetitivo. Nesses casos, pode ocorrer lesão nos tecidos moles e até da cápsula articular, além de diminuição de força. "Essa lesão provavelmente resulta do alongamento rápido e repetido dos ligamentos que circundam a articulação".

A estudante Giovanna Tezzei, 17, começou a estalar as articulações desde pequena, mas isso se tornou mais frequente quando começou a usar o computador, aos 10 anos, e a praticar jiu-jitsu, aos 14. Atualmente, ela diz que estala os dedos das mãos e dos pés, os tornozelos, os pulsos, a coluna, os joelhos, os cotovelos, a nuca, os ombros e o quadril.

"Ao escrever ou ao usar computador por muito tempo, sinto um desconforto nas juntas e no pescoço, e acabei por começar a estalar". Por conta disso, Giovanna sente uma dor moderada nos pulsos, dedos, tornozelos e, às vezes, nos pés, quando corre ou anda rápido, sendo preciso até parar para estalá-los antes de voltar à atividade.

Além disso, ela também sente bastante dor nos joelhos e cotovelos por conta dos estalos. "Penso eu que essas são as áreas que mais doem por ter praticado jiu-jitsu por mais de dois anos e os golpes acabam atingindo as articulações."

Giovanna conta que as estala a cada minuto e, dependendo do local onde está, a cada hora. Por conta das dores, ela gostaria de parar com este hábito. "Mas não sei como fazer isso".

A bancária Edna Gonçalves dos Santos, 32 anos, tem o hábito de estalar quase todas as articulações, que geralmente ocorre após ficar muito tempo na mesma posição, principalmente sentada, e ao levantar pela manhã. Ela conta que os estalos ficaram mais constantes quando passou a ficar a maior parte do tempo sentada por conta do trabalho e por parar de fazer atividade física.

Edna não sente dor nas articulações, mas se sente incomodada com os estalos. "O barulho incomoda um pouco". Quando alguém está por perto e o som é muito alto, ela diz que costumam achar estranho e perguntar o que é aquilo. "É bem chato". Segundo o fisioterapeuta e ortopedista com quem se consultou, no caso dela isso ocorre porque os ligamentos que unem as articulações são "frouxos".

Atualmente, por orientação médica, a bancária voltou a praticar atividade física para fortalecer a musculatura, como pilates e musculação, além de exercícios de alongamento. "Não parou [o estalo], mas já diminuiu bastante".

Causas - De acordo com o reumatologista Amarildo da Silva, o som dos estalos ocorre quando se formam bolhas no fluido que cerca a articulação que é lubrificada por um líquido chamado fluido sinovial. "Estalar os dedos faz com que os ossos da articulação se separem".

Ele diz que, quando isso acontece, a cápsula de tecido conectivo em volta da articulação se alonga, aumentando o volume dela e provocando uma diminuição da pressão. Assim, os gases dissolvidos no fluido sinovial ficam menos solúveis e são formadas bolhas por meio de um processo chamado cavitação. "Ao ser muito alongada, a pressão na capsula diminui tanto a ponto dessas bolhas estourarem e produzirem o barulho do estalo".

Segundo ele, a dor só ocorre se houver algum processo inflamatório associado, pois na maioria das vezes a sensação é de relaxamento. "Ao estalarmos as juntas, se estimula algumas terminações nervosas e os músculos envolta da articulação relaxam". O reumatologista também lembra que, caso o estalo seja acompanhado de dor ou inchaço, o paciente deve procurar ajuda médica.

Como parar - Parar de estalar as articulações pode ser uma tarefa difícil. Segundo o reumatologista, se o hábito é muito repetitivo, o paciente deve procurar ajuda médica. "O mais indicado, se não houve traumatismos, é o reumatologista".


Matéria publicada no jornal laboratório Unisanta Online da Universidade Santa Cecília em 05 de outubro de 2013. Link original. Créditos da foto: Juliana Duarte.