domingo, 6 de abril de 2014

Jovens se tornam 'ídolas' pela internet

Foto por: Juliana Duarte

Quem nunca utilizou as redes sociais para desabafar e expor suas ideias, seja em 140 caracteres no Twitter, na interatividade do Facebook ou até em uma página na internet? Essas redes sociais, que para muitos servem só para se divertir e se relacionar, hoje em dia se tornaram uma das principais fontes de dinheiro e fama para muitos brasileiros.

Com seus trabalhos independentes no Youtube, nomes como Felipe Neto, PC Siqueira e Cauê Moura se tornaram conhecidos “web a fora”. Porém, não é somente de nomes masculinos que a rede de famosos na internet é composta. As mulheres também têm seu espaço na web, onde expõem o que pensam, mostram o que sabem e até compartilham dicas de beleza, saúde e moda.

Este é o caso de Bruna Vieira, dona do blog Depois dos Quinze, que já possui, em média, 8 milhões de visualizações, cerca de 60 mil diárias. A mineira de 18 anos criou o endereço na internet para desabafar e hoje tem um dos blogs mais acessados da web. “Com algum tempo, percebi que minha opinião e o espaço criados eram importantes para milhares de garotas”.

Em virtude do sucesso do Depois dos Quinze, que passou a abordar vários temas do universo feminino, Bruna agora vive em São Paulo, já viajou para a Europa e possui uma coluna na revista Capricho. Porém, segundo ela, sua maior conquista foi publicar o livro Depois dos Quinze – Quando tudo começou a mudar. “Jamais imaginei que conseguiria”, conta. A blogueira, que começou a escrever para superar uma desilusão amorosa, superou o fora, o bullying e se tornou uma das jovens mais influentes da internet.

A história da escritora é uma inspiração para Gabriela Junqueira, que venceu o bullying graças à Bruna. Gabriela, de 13 anos, conheceu o Depois dos Quinze em 2011. “Para mim, aquela época estava sendo muito difícil por já ter sofrido bullying e ainda não era muito aceita por meu estilo”. Para ela, Bruna é uma grande inspiração. “Ela me mostrou que não tem nada de errado em ser diferente. Muito pelo contrário: é uma qualidade”.

Bruna possui uma legião de fãs espalhados pelo País. Ela, que considera tudo isso uma honra, diz que é bem “certinha” e acaba sendo um bom exemplo. “Talvez seja a criação do interior”, completa.

Também foi graças à internet que Babi Dewet lançou seu livro. Em 2006, a carioca de 26 anos escreveu Sábado à Noite, uma fanfic (histórias criadas por fãs usando seus ídolos como personagens) da banda McFLY. A escritora conta que a ideia nasceu após assistir o filme O Homem da Máscara de Ferro. “Eu comecei a imaginar os garotos mascarados e daí foi um pulo para criar uma história de amor colegial sobre isso”.

A primeira reprodução em forma de livro ganhou vida em junho de 2010, quando Sábado à Noite foi lançado de forma independente na Bienal do Livro de São Paulo. Babi conta que levou 200 exemplares à Bienal. “Eu não sabia o que fazer”, confessa. “Só sabia que tinha os livros comigo e precisava achar quem gostasse deles”. Com a cara e a coragem, começou a vender de mão em mão a publicação. Babi leva o episódio como grande experiência. “Foi assustador e, ao mesmo tempo, o melhor aprendizado que tive”. A escritora saiu do evento com todos os exemplares vendidos.

No começo de 2012, Babi Dewet assinou o contrato com a editora que publicaria seu livro, que vendeu, aproximadamente, 2 mil exemplares até dezembro do ano passado.  O sucesso foi parar inclusive no Youtube, onde há um canal com vídeos sobre novidades, músicas e lançamentos da obra.

Babi conta que sempre quis que a história fosse multimídia. “Tanto é que gravamos uma trilha sonora de cinco músicas especiais só para o livro”. Segundo ela, as músicas foram escritas por seus amigos que, além de serem seus leitores, também participam como personagens em eventos e sessões de autógrafos.

Os leitores de Sábado à Noite consideram o livro a realização de um sonho. A mineira Isadora Ferreira, de 15 anos, diz que se sente extremamente orgulhosa por ver a história se transformar em um livro. Ela conta que essa foi a primeira fanfic que leu na internet. “É de longe uma das minhas favoritas até hoje”, confessa.

Mas não é só na escrita que as mulheres vêm se destacando na web. Melina Souza, de 25 anos, é dona do blog A Series of Serendipity e ganhou reconhecimento na internet graças às suas fotos. A blogueira, que criou seu primeiro endereço na internet em 2000, diz que, no começo, tinha que passar as fotos para o computador por meio de um scanner.

“Criei o A Series of Serendipity para compartilhar minhas fotos que ficavam de fora do Flickr e uma parte da minha vida também”, conta. Melina, que não imaginava o sucesso que seu blog faria, diz que não tinha qualquer pretensão de transformar sua página em um blog conhecido. “Tanto que eu quase não o divulgava”, confessa.

Entre as conquistas que já recebeu por seu blog, Melina revela que a maior vem de seus leitores: os e-mails, cartas e comentários que eles a enviam. “Muitos falam que o meu blog é terapêutico”, conta.

Entre seus leitores, está a baiana Débora Souza, de 17 anos, que considera Melina uma de suas maiores inspirações. “O jeito que ela fotografa é único e, ao mesmo tempo, criativo”, diz. “É essa criatividade e jeitinho que me inspiram”.

Melina considera tudo isso “ao mesmo tempo legal e meio assustador”. Muitos pais, segundo ela, contam que ficam felizes por seus filhos tê-la como inspiração. “Passo muitos valores bons”, diz.

Planos
Melina pretende continuar trabalhando com o blog. “Mas, por enquanto, os planos são segredos”. Já a escritora Babi Dewet revelou que o segundo livro da trilogia de Sábado à Noite já está com a editora e será lançado ainda este ano. “Tenho outros planos e livros não finalizados”, confessa. Bruna Vieira pretende continuar com o Depois dos Quinze e a escrita. Publicar uma série de livros (que em breve será divulgada) e continuar com o blog estão entre seus projetos.


Matéria publicada no jornal laboratório Primeiro Texto da Universidade Santa Cecília em 08 de abril de 2013. Link original.