domingo, 6 de abril de 2014

Videogames levam atividades esportivas para dentro de casa



Atualmente, praticar um esporte não é somente ficar embaixo de um sol forte nem carregar equipamentos específicos, como redes, bolas e raquetes. Com a tecnologia ainda mais presente no cotidiano, essas atividades são realizadas até mesmo no quarto, usando apenas o videogame, o CD do jogo escolhido e o sensor de movimento. Este, que dispensa o uso dos controles – e as sequências de botões impossíveis de serem feitas -, possibilita o jogador vivenciar a realidade do game e, consequentemente, movimentar todo o corpo ao invés de só os dedos.

É isso o que a micro empresária Patricia Rogelia faz três vezes por semana, no período de uma a duas horas. Ela, que começou a praticar tênis de mesa aos seis anos, precisou parar aos 23, quando engravidou de seu primeiro filho. "Senti muita falta no tempo que fiquei parada, mas é impossível dedicar cinco horas por dia a um esporte com uma criança pequena, então tentei me adaptar. Foi aí que conheci o Kinect".

Para ela, a experiência é bem similar àquela vivida em quadra e salão. “A diferença é a companhia”. Além disso, o videogame exige mais perfeição nos movimentos. “Se você não fizer exatamente o que pede, ele considera como erro”, o que obriga o jogador a se esforçar mais.

No Xbox, a micro empresária pratica ioga e tênis por meio dos jogos Your Shape e Sports, respectivamente. “Ioga era algo distante para mim e hoje pratico todas as manhãs, pois é bom para alongar e manter a flexibilidade”. Fora dos games, Patrícia também pratica atletismo. “Faço corridas de rua três fins de semana por mês”.

O estudante Felipe Moura Barbosa pratica futebol fora do videogame, mas também usufrui dos jogos para conhecer outras modalidades. Ele aproveita para unir entretenimento ao esporte, pois assim pode “fazer exercícios ao mesmo tempo em que se diverte”.

Outro benefício para o estudante é a praticidade. “Quando acabo, estou mais perto do chuveiro”, brinca. Ele, que não faz alongamento antes das práticas, diz que nunca sentiu problema ao abdicar do aquecimento da musculatura.

A auxiliar de escritório, Stephanie Grande, pratica esportes apenas pelos jogos. E essa rotina começou após adquirir um Xbox com Kinect. “Comecei a me exercitar mais por conta do videogame”. Segundo ela, o exercício também influencia sua saúde. “Sinto que meu fôlego está melhorando”.

E o esforço físico começa antes mesmo de ligar o Xbox, já que ela precisa trocar a posição dos móveis e deixar espaço suficiente para jogar. Antes de começar a prática, Stephanie não dispensa o alongamento por conta de um problema no joelho. “Sempre é bom antes de me preparar para uma atividade”, conta.

Cuidados - O professor de Educação Física, Peter Frank, acredita que essas práticas deveriam ser acompanhadas por um professor, especialmente em casos em que o jogador é iniciante. "Se ele fizer algum movimento errado, pode sofrer uma lesão forte no músculo", alerta. Além disso, o professor também indica fazer alongamentos após os exercícios, e não antes, como muitos fazem. "O correto é alongar os músculos depois, quando a musculatura está quente. Se fizer antes, com a musculatura fria, pode ocorrer uma lesão".

Frank também aconselha o jogador a usar equipamentos próprios, como tênis e roupas especiais para a prática de atividades físicas. Ele recomenda não ultrapassar o período de 30 a 40 minutos de jogo por dia. "O jogador também deve evitar as modalidades de esportes radicais, que exigem muita força".

Sobre a possibilidade de inclusão do videogame às academias, Frank descarta. "Isso iria eliminar os exercícios em academias, pois seria incentivo para as pessoas praticarem nos jogos e em casa".

Sensores de movimento – Os sensores de movimento possibilitam que o jogador tenha uma maior interação com os jogos eletrônicos, sem a necessidade, como no caso do Kinect, de um joystick. Cada videogame no mercado acompanha um sensor diferente, que em muitos casos precisam ser adquiridos a parte.

O Xbox, da Microsoft, utiliza o Kinect, que responde aos movimentos sem a necessidade de um controle. Já o Wii Remote, utilizado no Nintendo Wii, é um controle sem fios, onde o jogador precisa segurá-los para praticar os jogos eletrônicos. Por fim, o Playstation, da Sony, utiliza o PS Move, que funciona de modo similar.

Segundo o estudante de Jornalismo e fã de jogos, Diego Corumba, a cada sensor de movimento lançado, jogos de esporte começarão a aparecer com mais frequência. “Na próxima geração (que estará ainda este ano no Brasil), a inclusão do novo sensor Kinect do Xbox One, por exemplo, já tem planos para jogos de esporte para cerca de oito jogadores simultaneamente”.


Matéria publicada no jornal laboratório Unisanta Online da Universidade Santa Cecília em 21 de setembro de 2013. Link original. Créditos da foto: Juliana Duarte.